Redes sociais: turbine sua carreira

Enviado por Bunita em maio 1, 2011 | 10:39 | Versão para impressão

Você participa de alguma rede social? Saiba que muita gente está usando essa mídia para mostrar suas aptidões, cavar oportunidades, formar ou ampliar sua malha de contatos profissionais (ou networking) e turbinar a carreira. Pesquisa do Ibope Inteligência revelou que 88% das brasileiras conectadas à internet frequentam algum site do gênero. A maioria (83%) faz isso interessada em relacionar-se com os amigos e conseguir novos. Mas 28% buscam ganhos profissionais. Se você ainda não faz parte do segundo time, está perdendo a chance de expor aptidões em uma vitrine capaz de atrair muitos olhares. De acordo com a consultora Elaine Saad, nos últimos cinco anos, as empresas perceberam que as redes sociais equivalem a um enorme e rico banco de currículos periodicamente atualizados. “Então, os recrutadores passaram a publicar anúncios de vagas e a buscar profissionais e referências sobre eles nesses ambientes”, explica Elaine.

Criado nos Estados Unidos como rede para fins profissionais, o LinkedIn tem 75 milhões de usuários no mundo. Por sua especialização, ele é básico para bombar a carreira. Mas outros do gênero podem servir para o objetivo - do Facebook e do Twitter ao ainda popular Orkut. Foi nele que Lucia Zaidan, 25 anos, orkuteira desde 2005, conquistou sua primeira oportunidade: um estágio, quando estudava rádio e TV. Em 2009, se deu bem de novo na caça digital. Um empresário anunciou no Twitter que procurava um profissional para cuidar de sua imagem nas mídias sociais. Ela gostava de tais ambientes e tinha familiaridade com eles. “Enviei currículo pensando que era impossível conseguir a vaga e fui admitida.”, disse Luciana.  A partir dali,  ela mudou o rumo da carreira. Hoje está no departamento digital de uma agência de relações públicas.

Confira as dicas e aprenda a tirar proveito máximo dessa vitrine virtual:

1. Marque presença onde é preciso. Se ainda não tem perfil no LinkedIn, rede social voltada para contatos profissionais, faça um.

2. Conte uma boa história. O perfil no LinkedIn é como um currículo. Deve conter dados como a formação acadêmica, outros cursos, línguas estrangeiras, vivências no exterior e, claro, trajetória profissional. As pessoas costumam escrever um perfil profissional muito descritivo. Nas redes sociais, o que funciona é focar nos resultados, em ações que você fez e deram certo. Assim, é melhor dizer “Bati a meta de vendas em quase todos os meses que estive nessa função” do que “Integrei a equipe de vendas da empresa, na qual tive boa participação”.

3. Invista em recomendações. Providencie testemunhos positivos de quem já trabalhou com você. O recrutador quer saber. E monte uma rede de contatos que impressione. Comece com ex-colegas de faculdade e de trabalho mais ex-clientes.

4. Destaque-se da multidão. Inclua informações que possam diferenciá-la da massa e criar curiosidade em um eventual futuro chefe. Vale o trabalho voluntário que você faz ou um hobby bacana que mantém. Quem não ia querer conhecer uma profissional do mercado financeiro que toca sax ou explora cavernas?

5. Use palavras-chave sintonizadas com o que deseja. Por exemplo, ainda que você tenha outras experiências e formações, se quer atuar em marketing, privilegie esse termo e os que tiver a ver com ele.

6. Não peque no básico. Se em um currículo mentiras e erros de português não são bem-vindos, também não devem aparecer nos perfis digitais. E fuja das abreviações típicas da internet.

7. Seja coerente na sua campanha online. Se você faz parte de várias redes sociais, melhor, pois tem mais chances de ser “descoberta”. Mas, nas suas aparições em todas as mídias, mantenha o foco na carreira e o equilíbrio. Não adianta ter perfil bonitinho no LinkedIn e derrapar no Orkut contando piadinhas de gosto duvidoso ou suas aventuras sexuais na balada. Encare como se você fosse uma celebridade que não quer “ser flagrada” em situações comprometedoras.

8. Plante curiosidades sobre você. Contar no Twitter, em pílulas e em tempo real, a viagem cultural que está fazendo a Nova York pode capturar a atenção e encher os olhos de um recrutador. Ou divida a lição aprendida no livro que acabou de ler.

9. Não basta estar lá. Tem que participar. Pouco adianta montar perfil em várias mídias e, depois, esquecer. Precisa acessar sempre, atualizar dados, interagir. Comente notícias e publique o link, envie artigos bacanas para sua lista de contatos (só não assedie demais, para não irritar). “Nesses ambientes, a moeda de troca é conteúdo de qualidade. É isso que gera interesse por você e abre portas”, diz  expert em redes Marcelo Coutinho.

10. Debata. Participe de grupos de discussão ligados à sua profissão nas redes sociais. Você aprende, divulga suas opiniões e ainda conhece mais gente para ampliar suas listas de contatos (coisa, aliás, que deve se preocupar em fazer sempre).

Lara Silbiger

Dicas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Leia também:

3 Comentários. Faça o seu!


  1. Thamiris, 4 mêss atrás Responder

    Adorei as dicas, achei de extrema importância. Obrigada !


Envie sua resposta